Acontece

Não existe direito de preferência entre condôminos

Fonte AASP

O direito de preferência deve ser observado apenas nos casos em que a alienação do bem indivisível se pactue entre condômino e estranho, e não entre condôminos. Com esse entendimento, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reformou decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) que estendeu o direito aos coproprietários do imóvel.

Acompanhando o voto do relator, ministro Marco Buzzi, a turma concluiu que a regra do artigo 504 do Código Civil aplica-se somente quando há concorrência entre o condômino e um terceiro estranho.

“Não há que se falar em direito de preferência entre os próprios condôminos, que se igualam, de modo que se um condômino alienar a sua parte a um consorte, nenhum outro poderá reclamar invocando direito de preferência”, ressaltou o relator em seu voto.

Restrições

Segundo Marco Buzzi, o direito de preferência disposto no artigo 504 se refere às alienações a estranhos e deve ser interpretado de forma restritiva, não cabendo ao intérprete, extensivamente, aplicar tal norma aos casos de compra e venda entre consortes.

Citando doutrinas e precedentes, Marco Buzzi enfatizou que o direito de preferência visa impedir que condôminos sejam obrigados a compartilhar o domínio de um bem com terceiros estranhos à comunhão.

Para o relator, a alienação ou cessão de frações ideais entre condôminos não viola o direito de preferência, uma vez que não envolve o ingresso de estranhos; “pelo contrário, serão mantidos os consortes apenas com alterações no percentual da parte ideal daquele que adquiriu a parcela de outrem”. A decisão foi unânime.

REsp 1137176

 

Outras notícias

Lopes Domingues Advogados é citado na Análise 500

Logo em seu primeiro ano, o escritório Lopes Domingues Advogados é listado entre os escritórios mais admirados do Brasil de acordo com a publicação Análise Advocacia 500 de 2016. O sócio, Maurício Domingues, também foi destacado na publicação como um dos profissionais mais admirados por setor econômico (comércio) e no Estado de São Paulo.   […]

LACCA – Latin America Corporate Counsel Association 2017

O sócio Mauricio Domingues foi citado pela LACCA – Latin American Corporate Counsel Association como advogado referência em Litigation e Administrative Law. A votação é realizada anualmente para eleição dos profissionais em destaque. Mais informações em http://laccanet.com/

Lopes Domingues na Legal 500

Lopes Domingues Advogados é destacado em recente publicação da Legal 500 (http://www.legal500.com/c/brazil), em matéria sobre a abertura de novos escritórios de advocacia. Fruto da saída do sócio Mauricio Marques Domingues e de mais 54 profissionais do escritório Azevedo Sette, o Lopes Domingues Advogados possui atuação abrangente. O escritório conta ainda com os sócios Raquel Mello […]